Neymar cria sinuca de bico para Barcelona, PSG e até para Messi

Julio Gomes

Julio Gomes é jornalista esportivo desde que nasceu. Mas ganha para isso desde 1998, quando começou a carreira no UOL, onde foi editor de Esporte e trabalhou até 2003. Viveu por mais de 5 anos na Europa – a maior parte do tempo em Madrid, mas também em Londres, Paris e Lisboa. Neste período, estudou, foi correspondente da TV e Rádio Bandeirantes e comentarista do Canal+ espanhol, entre outras publicações europeias. Após a volta para a terrinha natal, foi editor-chefe de mídias digitais e comentarista da ESPN e também editor-chefe da BBC Brasil. Já cobriu cinco Copas do Mundo e, desde 2013, está de volta à primeira das casas.

04/12/2020 17h14

Os rumores esquentam. Neymar quer jogar com Messi. Teria dito ao PSG que só renovaria seu contrato, que termina em 2022, se o argentino viesse. Será?

Messi e Neymar ganharam tudo no Barcelona em 2015. O “normal” seria que jogassem juntos por muitos anos. Até seria aceitável o Barça vender Messi alguns anos atrás e fazer um monte de dinheiro, apostar em Neymar para muitos outros anos. O que não foi aceitável foi perder Neymar por um concorrente direto pagando cláusula contratual. O Barça, ali em 2017, perdeu uma década de garantias.

Dava para ter segurado Neymar? Possivelmente. Faltou tato, faltou negociação, faltou um plano. Sobraram soberba e incompetência para a diretoria – que acaba de renunciar. Com tudo isso, não tiro a culpa de Neymar. No fim, foi ele quem escolheu sair. Já se arrependeu, já se “desarrependeu” e agora vê a oportunidade de “consertar” a separação da dupla de outra maneira.

O Barça tem histórico. Já perdeu Figo e Ronaldo de maneira parecida, só para falar de dois nomes. Mas nenhuma humilhação seria maior do que ver os dois, Messi e Neymar, juntos em outro clube.

No meio da pandemia de declarações, o presidente interino do Barça, Tusquets, soltou a seguinte pérola: “Para o clube, financeiramente, teria sido bom vender Messi no último verão”. Depois, claro, veio o famoso “não foi bem isso o que eu quis dizer”. Enquanto isso, Ronaldo Koeman, o técnico, mostra a insatisfação: “Os comentários de fora do clube (os de Neymar) não me interessam. Mas os comentários de dentro do clube (os de Tusquets) não nos ajudam a ter a tranquilidade que necessitamos”.

É claro que não é só de tranquilidade que precisa o Barça. Precisa de um ambiente melhor, de um time melhor, de resultados melhores. Serão realizadas novas eleições. Não é um fato concreto que Messi irá embora. Ele ainda pode ficar. Mas, para ficar, precisa se encontrar em um ambiente diferente. Precisa se sentir melhor dentro de campo e fora dele.

Já sabemos que Neymar não virá ao Barcelona, o clube não tem a grana para isso – “só se for de graça”, avisa o presidente interino, ou seja, só seria possível assinando o contrato em janeiro de 22, para jogar a partir de 22/23. Então a frase de Neymar, dizendo que sonha em jogar de novo com Messi, não se refere a um futuro tão distante. Ele está falando de agora mesmo.

E Neymar não fala essas coisas da boca para fora. Isso é tudo muito bem pensado e planejado. É uma maneira de pressionar PSG e Barcelona ao mesmo tempo. “Ei, Paris, só fico aqui se vocês fizerem isso”. “Ei, Barça, não querem gastar comigo, é? Então em vez de Neymar-Messi aí, vai ter Neymar-Messi em outro lugar”.

É uma sinuca de bico para os dois clubes, mas muito mais para o Barcelona, que pode levar o maior tapa na cara de sua história.

Só que a estratégia de Neymar cria uma sinuca de bico até mesmo para Messi. Ele não quer ficar no Barcelona. Quem terá dinheiro para pagar o maior salário do futebol mundial? No fim, são poucas as opções. Uma delas é o Manchester City, se reencontrar com Guardiola. Mas onde ele teria mais chances de sucesso esportivo? É óbvio que seria no PSG, ao lado de jogadores como Neymar e Mbappé.

Só que a situação se inverteria, né? No Barça, Messi era o Batman, Neymar, o Robin. Estaria o argentino disposto a trocar de papel? Neymar abre as portas e fala que “joga em qualquer lugar para estar ao lado de Messi de novo”. Nessa aí, me perdoem, eu não vou cair. As portas estão abertas para Messi….. Para Messi jogar no clube de Neymar. A hierarquia ali é outra.

Se o que ele quer é ganhar de novo uma Champions, as chances são maiores em Paris do que em Manchester ou em Barcelona ou em qualquer outro lugar. Messi está disposto a dar esse passo?

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Fonte: https://www.uol.com.br/esporte/colunas/julio-gomes/2020/12/04/neymar-cria-sinuca-de-bico-para-barcelona-psg-e-ate-para-messi.htm