Mercedes abandona produção de carros no Brasil pela segunda vez

A Mercedes-Benz anunciou nesta quinta-feira (17) que irá encerrar a produção de automóveis na fábrica de Iracemápolis (SP). Esta é a segunda vez que a fabricante alemã abandona a produção de automóveis no Brasil: antes, ela fabricou os modelos Classe A e CLC em Juiz de Fora (MG).

Jörg Burzer, membro do Board da Mercedes-Benz AG, Produção e Cadeia de Suprimentos, explicou que a pandemia de Covid-19 acentuou a queda nas vendas dos carros premium no mercado brasileiro.

“Aumentar nossa eficiência, otimizando a nossa capacidade de utilização é um facilitador importante. Por isso, decidimos encerrar a produção de automóveis premium no Brasil”, justificou Burzer.

Atualmente, o sedã Classe C e o SUV GLA são os modelos produzidos na planta paulista da Mercedes, inaugurada em março de 2016 após investimentos de R$ 600 milhões.

A Mercedes ainda afirmou que irá buscar alternativas para os 370 empregados, incluindo a possibilidade de um programa de demissão voluntária e outras possibilidades que serão avaliadas em um futuro próximo.

Primeiro abandono

A marca alemã de luxo já fez veículos de passeio em Juiz de Fora (MG): Classe A, de 1998 a 2006, e depois o CLC, por apenas dois anos (2009 e 2010) para justificar investimentos e incentivos fiscais. Hoje, em Minas Gerais, a Mercedes-Benz produz cabines de caminhão.

mercedes-benz classe A azul

Picape Mercedes Classe X: abandonada pelo caminho

Outro “passo em falso” recente da Mercedes aconteceu na vizinha Argentina. De lá, a marca traria a picape média Classe X, projeto feito em conjunto com a Aliança Renault-Nissan – que vendem, respectivamente, a Frontier e a Alaskan.

A Mercedes iniciou a fabricação da Classe X na fábrica da Nissan em Barcelona (Espanha) em 2017. Um fracasso de vendas na Europa, pois a mais barata era similar à própria Frontier. A mais luxuosa, com motor V6 custava quase 40% mais por um veículo que não atrai europeus como os norte-americanos.

picape mercedes benz classe x

Em maio deste ano, antes de completar três anos de produção, o projeto foi totalmente abortado, incluindo a fábrica na Argentina, que não tinha sequer iniciado a fabricação. A empresa não revela quanto, mas certamente um desfalque no caixa de mais de bilhão de euros.

A Nissan Frontier? Vai bem, obrigado, mas a Renault Alaskan, sua irmã francesa, só está confirmada para o mercado argentino, com vinda incerta para o Brasil.

Boris comenta quando as montadoras erram no design do carro: quem explica?

Fotos: Mercedes-Benz | Divulgação

Fonte: https://autopapo.uol.com.br/noticia/mercedes-abandona-producao-carros-brasil-segunda-vez/